Arte na Praça!

E a nossa Feira de Artesanato está crescendo. A cada realização tem surgido novos artesãos e o que é o melhor, gente talentosa! No próximo sábado dia 22, estaremos, especialmente desta vez, na Praça João Pinheiro, a partir da 10h expondo nossos trabalhos.


Da turma antiga, fundadores da Arte na Praça: o Grupo DiVida, Ateliê da Jaque, Ateliê Arte e Criação, Ateliê Laura Gouvêa, Souplat da Rosinha e Kombeerlisario. Esses frequentaram as primeiras reuniões, no salão nobre do Memorial Municipal, que tornaram realidade o nosso sonho. Depois, veio o 

Ateliê Abracadabra!, o Encatario Ateliê, mais Doces Ki- Delícia, Pão com Linguiça. Recentemente, o fotografo Elvio Jr., Daniele Resende e Wood Art e no sábado passado recebemos a adesão, do BAAH e da Pata de Leão. Então não se esqueçam no próximo sábado dia 22 nossa Feira estará na Pça João Pinheiro, http://evaldocalcagno.com.br/site/2018/12/olhar-refletido/ esperamos por você!

Em tempo nosso agradecimento aos funcionarios da FUNDARTE, tanto na gestão Gilca Napier, quando foi criada, quanto na gestão, Flávia Neves, que não medem esforços para nós atender. Quando chegamos, as barracas já estão devidamente montadas e ao final a mesma equipe, desmonta e quarda todo material, inclusive a aparelhagem de som.

Olhar Refletido

Desejo de criar espaços prováveis do sonho. Da Fantasia. Da compreensão de nós mesmose do outro. Todas as fragilidades que encontramos no espaço da vida tento deixar transparecer no espaço da Pintura. Fragilidade que entendo como algo extremamente positivo, pois pra mim a Pintura só é boa no momento em que consigo detectar suas fragilidades. Isto é, aquela que permite ao espectador perceber potencialidades e possibilidades que não se realizam. Ele olha para o quadro e pensa: aqui se poderia ter feito isso, ou ainda: está muito saturado, poderia ser um pouco menos, e ainda, aqui está faltando, está lambido, se poderia ter trabalhado mais.” Assim fala Fernando Pacheco, o pintor mineiro, natural de São João del-Rei, residente em Belo Horizonte, que trabalha nas fronteiras da comunicação e infinitas possibilidades que não se fecham num diálogo exclusivamente racional. Esse é o raciocínio, sentimento que movimenta a vocação, senso lúdico e revelação da pintura na vida do artista. Espaço em que as cores, desenhos, traços e gestualidades estão em permanente conexão e à procura de um sublime equilíbrio, nos olhos ávidos e curiosos de qualquer observador.

Apoteótica a Grande Ciranda

O show de encerramento do Projeto Ciranda Cultural, coordenado por Gilca Napier, Alessandra Sexto e Fernando Duarte, aconteceu na noite de sábado, dia 7, no coreto da nossa praça central, a João Pinheiro, foi um lindo espetáculo. 

Também fizeram parte do projeto, Adílio Silva  e Alex Petrilho, foi um grande espetáculo. O projeto, que teve o objetivo de formar, fomentar e promover a cultura entre os jovens estudantes do ensino médio, artistas, artesãos, agentes e produtores culturais, recebeu aprovação e apoio da Lei Estadual de Incentivo a Cultura de Minas Gerais e da ENERGISA

Três EE.’s, Dr. Gonçalves Couto, Dr. Olavo Toste   e EnOrlando Flôres, receberam em suas instalações, durante todo o ano, uma oficina cultural, abrangendo respectivamente: teatro, com o professor Municipa,  Elielson Rodrigues, música com o professor Municipal, Guilherme Silva e dança, com o bailarino e também professor de dança, da AVB, Diones de Castro. Através de um edital o projeto ainda premiou doze iniciativas, que criaram novos agentes culturais em nossa região.

 Então, o showa Grande Ciranda, apresentado pela conhecida locutora Cleria Lúcia, com roteiro artístico e cenário, dos diretores e produtores culturais, de Belo Horizonte, Kalluh Araújo e Luiz DiFillipo, iluminação e sonorização de Henrique de Paula, uniu várias culturas populares, do nosso rico Brasil, trazendo da interiorana Folia de Reis ao metropolitano, Hip Hop!

Viajamos por esse país através de suas, música, teatro e dança, com muitas luzes, cores e sempre o bater muito forte dos tambores. Antes da encenação, inspirada na Semana de Arte Moderna, acontecida em Sao Paulo, num abril do  ano 1922, se apresentaram, sendo recebidas com fogos de rojão, a Banda Marcial Bernadete Carneiro e quatro Folias de Reis: Jornada de Reis, Anjo Seraphin, Folia de Reis Estrela de Davi e Folia de Reis Anjo Gabriel

A idéia dos produtores artísticos era, que tanto a banda, quanto as folias, brotassem de um ponto ao derredor da Praça João Pinheiro, e os músicos e dançarinos, viriam das ruas, Silveira Brum, Barão do Monte Alto, Amador Pinheiro de Barros, Presidente Arthur Bernades e da Paschoal Bernardino, pata se encontrarem no Coreto e formarem a Grande Ciranda. 

Com as inesperadas chuvas de verão, o Aĺroteiro teve que ser modificado um pouco, nada que tirou o brilho do espetáculo. Principalmente a apresentação da musica Trenzinho Caipira, uma obra interncionalmente conhecida, do modernista Heitor Villas Lobos, cantada  voz de Kalluh Araújo. Em seguida a Banda da Escola de Música Municipal faz um som de fundo, para o ator Marcelo Guerra, declamar um texto, protestando da violência, principalmente sexual, sofrida pela mulheres. 

De repente a música Tropicalia, que acabou virando um movimento, é cantada e encenada pelos atores da Escola Municipal de Teatro Gregorio de Mattos Guerra e alunos da EE.Gonçalves Couto, no melhor estilo, Dzi Croquettes. Arrasaram ainda com Divino Maravilhoso, um desvende de Caetano Veloso. O som das escaletas da Banda Marcial, que tocaram mais Villa Lobos, desta vez com suas Bachianas, fazendo fundo para a atriz muriaeense declamar o Hino de Muriaé. 

Ainda ao som de Bachianaso bailarino Diones nos traz um solo, com lindo e leve coreografia, que ele dança com uma echarpe dupla, que num segunda é transformada em uma capa, que veste seu corpo e do alunos da EE. Orlando Flores, que  logo entram no ritmo trepidante da música Ginga

Agora chegou a vez dos MCs, qua juntos com a Vozes do Subsolo fazem um.protesto, lendo  textos falando da dura realidade de uma comunidade local, onde a violência impera. Em contraponto a MC Larisa aparece arrasando num look brilhante e mandando ver no embate com o MC WD, que terminam a apresentação junto com o grupo Alpha, dançando o hit, “Não Enche“, de Annita

Gradativamente o som dos atabaques vão aumentando , e tranzem para o centro do Coreto uma entidade, da religião africana, incorporada pelo brilhante bailarino, Walber Luiz, que também é professor na AVB, arrasa em sua coreografia. Começam a serem ouvidos o som da banda  da Escola Municipal de Música  e vozes de crianças cantado de Gilberto Gil, “Andar com fé“. Mais crianças, desta vez do Grupo Folclórico bdo Bairro Santa Terezinha, que começam a cantar “Minha Ciranda”

A banda toca Cirandeiro e  a menina, Ester Rodrigues dos Santos, aluna da Escola Municipal de Música Leonel Vargas, recita um pequeno texto que fecha o happening: “Essa Ciranda não é minha só! Ela é de todos nós! Ela é de todos nós! A melodia principal quem guia é a primeira voz, é a primeira voz!!”.

Strike Para Pastrami

E amanhã, dia 12, às 18h, a chic Pastrami Choperia marca um strike com a inauguração de seu Boliche. O novo espaço, tem  quatro pista, sendo que em cada uma,  podem jogar, simultaneamente,seis pessoas. Um cardapio especial, a base de fastfood, foi montado para receber muito bem os jogadores, clientes já acostumados com o serviço diferenciado da Pastrami

De Luto

A coluna se encontrada enlutada com o falecimento da nossa grande e querida amiga Josélia Cerqueira. Depois de muitos anos, lutando com um grave problema de saúde, ela não resistiu e veio a falecer, nesta madrugada. Josélia, que estava morando no Rio de Janeiro, com o filho Oiama, será sepultada hoje, às 13h no Cemitério São João Batista. Fica aqui registrado toda nossa gratidão, por tudo o que ela fez pelos seus amigos e em nosso memória ficará sempre quardada a sua lembrança. Para nos ela é um ícone, uma mulher que marcou seu tempo. Uma profissional de respeito e uma querreira,  lutando em prol dos menos favorecidos. Que nossa homenagem e nossas orações, possam ajudá-la a encontrar o caminho de luz. Pedimos ao Pai, que a receba e lhe dê o merecido descanso, que sua alma merece. Beijo sua face amiga e choro por essa despedida.

Show Imperdível! 

Perfeito o nome Harmonia, para esse grande show, reunindo dois conhecidos nomes da música instrumental muriaeense, Elias Batalha e Edmilson Elpes. O melhor é, deduzindo-se pela foto do cartaz promocional, eles vão deixar os teclados de lado para se harmonizarem no violão, instrumento, que também tocam muito bem, isso sem falar na voz. Os dois têm uma bela voz, são afinadissimos e se soltam em todos os ritmos. Conheço e acompanho o trabalho desse dois artistas, que sabem tudo, quando o assunto é música. São dois profissionais que estudam muito para fazerem o que gostam: tocar! Então iremos todos para o  Teatro Zaccaria Marques, no dia 18, as 20h, simplesmente aplaudir e de pé.

Boas Festas! Elas  Chegaram!

Em Porto de Galinhas, Elenice com Giudita, Franco e a sobrinha Liz, mais uma amiga recifense

Duas muriaeenses que residem fora do pais, Elenice Faria , na Itália e Herica Corrêa na América do Norte, passam, pelo ao menos a uma década, suas férias em dezembro e fogem para o Brasil, onde estão suas raizes. Para a coluna suas visitas ja viraram sinônimo das festas de final de ano. Coincidentemente o que fazem tambem alguns alguns famosos estrangeiros. Elenice já está há uma semana em Recife, com seu Franco Arnesse, que adora as praias nordestinas, mais a bonita enteada, Giuditta. Eles se hospedam no chiquérrimo, Condomínio Jardim Aurora (foto abaixo).De lá, irão para uns dias em Maceió e só depois  aterrissam por aqui.

Heriquinha entre os amigos Fernando Valle e Nildo Paes

Outra famosa, que veio de férias para rever a familia e amigos é Heriquinha Corrêa. Ela já chegou no meio da preparação de uma badalada comemoração, montada pelos amigos, conhecidos do seu convívio, antes e depois de sua ida para os EE.UU., principalmente os que fizeram do Bar da Heriquinha um badalado point na  night da city.

Bem vinda Isabela!

O elegante casal, Luisa e Eduardo 

Rodrigues Caldas Varella, recebeu recentemente a visita da cegonha. Nasceu em Goiânia, no dia 27 de outubro, a menina Isabela Goulart Varella. Além da linda vovó, Emília Montezano Goulart, que está passando uns dias na capital de Goiás, quem também está babando pela Isabela é o futuro padrinho, o não menos bonito, Lael Varella Neto.